Estudos e pesquisas

 

PERCEPÇÃO E REAÇÕES DA SOCIEDADE SOBRE A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER
Pesquisa Ibope - Instituto Patrícia Galvão 2006
Apoio: Fundação Ford e UNIFEM
Pesquisa nacional realizada em maio de 2006 – antes, portanto, da Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340, de 07/08/06). Pesquisa aponta percepção de impunidade para violência contra a mulher. Acesse a íntegra da análise dos dados da pesquisa realizada por Fátima Pacheco Jordão, especialista em pesquisa de opinião e sócia-fundadora do Instituto Patrícia Galvão. (PDF 195 KB)

 

Estudo da Organização Internacional do Trabalho (OIT)

Divulgado em junho deste ano, mostra as dificuldades que as mulheres encontram para conciliar trabalho, família e vida pessoal. O levantamento aponta também que a condição feminina no mercado de trabalho está longe da igualdade em relação aos homens. Confira a íntegra da pesquisa... (PDF 1.6 MB)

 

Pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea)

Realizada no dia 2 de julho deste ano, em parceria com o IBGE e Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM) mostra a a precarização do trabalho feminino. O levantamento completo você confere aqui.Confira a íntegra da pesquisa... (PDF 1.2 MB)

 

As mulheres efetivamente têm tido maior acesso a empregos, mas não a empregos de melhor qualidades.

Este fenômeno é mais evidente entre as trabalhadoras de domicílio de menor nível socieeconômico, aponta o levantamento da OIT/PNUD "Trabalho e Família: Rumo a Novas Formas de Conciliação com Responsabilidade Social". Confira a íntegra da pesquisa... (PDF 1.0 MB)

 

Mulher negra predomina no trabalho doméstico
A Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) da Região Metropolitana de Belo Horizonte, divulgada em março pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), mostra que as mulheres negras ainda ocupam 45,5% dos total de postos de trabalho existentes na Grande BH. O segmento de Serviços responde por mais da metade do contingente de trabalhadoras (60,5%), seguidos, à distância, pelos Serviços Domésticos (15,2%), Comércio (13,9%) e Indústria (9,1%). Confira a íntegra da pesquisa... (PDF 40 KB)

Comunicado do IPEA Analisa as Condições do Trabalho Doméstico no Brasil
1º/6/2011 - EXTRAÍDO DO BOLETIM DO OBSERVATÓRIO BRASIL DA IGUALDADE DE GÊNERO
Comunicado lançado no dia 5 de maio pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) avalia a situação do trabalho doméstico remunerado no país, ocupação predominantemente feminina e, muitas vezes, desvalorizada e desprotegida. O documento apresenta algumas análises sobre a evolução do trabalho doméstico durante a última década, sobre a importância dessa ocupação no conjunto da economia e sobre a qualidade e as condições de trabalho vivenciadas pelas trabalhadoras domésticas brasileiras.
 O documento aponta para a importância de que sejam pensados três aspectos relevantes nas análises sobre o emprego doméstico no país: as especificidades da ocupação, que, por ser realizada nos domicílios, dificulta a fiscalização e o cumprimento das obrigações trabalhistas, além de não favorecer a organização das trabalhadoras; a persistência de laços pessoais no ambiente de trabalho, influenciados pelas origens patriarcais e escravistas do serviço doméstico no Brasil; e o surgimento de novos arranjos de trabalho, como é o caso das diaristas, por exemplo, o que implica em novos desafios para a garantia de direitos das trabalhadoras. Confira a íntegra do documento do IPEA (PDF 676 KB)

 

Casa de Direitos Humanos - Avenida Amazonas, 558 - Centro - Belo Horizonte, MG - CEP: 30180-001 - Tel (31) 3270-3618