Aconteceu

 

 

 

 



Download Name Play Size Duration
download Audio_001
0.6 MB 2:50 min

 

 

 

Campanha busca dar um basta à violência contra a mulher


O Conselho Estadual da Mulher (CEM) - órgão da Secretaria de Estado do Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese) - e a Rede Feminista de Saúde lançaram nesta sexta-feira (28), em Belo Horizonte, a campanha “Ponto Final na Violência Contra Mulheres e Meninas”. O evento foi realizado no auditório da Associação Mineira do Ministério Público, na Rua Timbiras nº 2.928, Barro Preto, na capital mineira. A iniciativa busca dar um basta a todas as formas de agressões contra as mulheres.

A campanha internacional, coordenada pela Rede de Saúde das Mulheres Latino-americanas e do Caribe, já acontece na Bolívia, Guatemala, Haiti e países da Ásia e África. No Brasil, foi introduzida em 2010, sob a coordenação da Rede Nacional Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos, com o apoio da Rede de Homens pela Equidade de Gênero (RHEG) e o Coletivo Feminino Plural.

A campanha busca fortalecer as redes de mulheres - para que denunciem os casos de violência - e promover uma mobilização social com alianças intersetoriais para erradicar todos os casos de agressões. Também busca potencializar o processo de reversão de opiniões conservadoras de pessoas que se mantêm omissas em relação às arbitrariedades praticadas contra esse público feminino.

Segundo a presidente do CEM, Neusa Cardoso de Melo, a campanha é uma das ações do Dia Internacional pela Saúde da Mulher, comemorado no dia 28 de maio, e também integra os movimentos do Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Violência contra as Mulheres (25 de novembro) e a campanha dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres.
Neusa Cardoso explica que a intenção do CEM, em parceria com a Rede Feminista de Saúde, é promover uma ação em Belo Horizonte todos os dias 28 de cada mês. Em abril, por exemplo, já está programada uma oficina lúdica para adolescentes, que será realizada na Praça da Liberdade, para que esse público reflita sobre a violência contra as mulheres.
 
"É preciso mudar essa cultura. A sociedade precisa entender que a violência contra as mulheres não é uma coisa normal e que elas precisam buscar ajuda para erradicar esse mal. A violência é nociva a toda a família, aos filhos e é um risco permanente à vida das mulheres. Portanto, é preciso dar um basta nessa violência. É preciso romper esse ciclo", enfatizou Neusa Cardoso.
A campanha em Minas conta com o apoio do Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), Movimento Graal do Brasil, Instituto Albam, Conselho de Psicologia, Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais, além do Consórcio das Gerais e da Secretaria de Estado de Educação.

 

 

Autor : Elvira Trindade

 

Organizações não governamentais e autoridades marcam presença no lançamento da campanha "Ponto final na Violência contra Mulheres e Meninas", na capital mineira.

 

Belo Horizonte, MG — Nesta sexta-feira, 28, a Legião da Boa Vontade (LBV) marcou presença no lançamento da campanha Ponto final na Violência contra Mulheres e Meninas, promovida pelo Conselho Estadual da Mulher e a Rede Feminista de Saúde. O evento foi realizado no auditório da Associação Mineira do Ministério Público.
A campanha internacional, que no Brasil teve início em 2010, busca ampliar a discussão sobre o assunto e criar condições para que o debate chegue a todas as mulheres, conscientizando e criando possibilidades de intervenção. Na oportunidade, os participantes receberam um exemplar da revista BOA VONTADE Mulher, que apresenta em quatro idiomas (espanhol, francês, inglês e português) as contribuições da LBV para a igualdade de gêneros.
 
Neusa Cardoso de Melo, presidente do Conselho Estadual da MulherNeusa Cardoso de Melo, presidente do Conselho Estadual da Mulher. Por reconhecer a importância fundamental das mulheres para as famílias e para a construção de uma sociedade justa e solidária, a Instituição desenvolve programas que as capacitam para a geração de renda, o aprendizado, à troca de experiências, à melhoria da autoestima e o cuidado consigo e com a família. Além disso, incentiva sua participação na sociedade para que tenham seus direitos garantidos, superando a pobreza, a fome, o isolamento, a violência doméstica e outros desafios.

Sobre este trabalho, a presidente do Conselho Estadual da Mulher, sra. Neusa Cardoso de Melo, pontuou: “É muito bem-vinda a chegada da Legião da Boa Vontade. Espero que possamos criar condições para que a violência tenha um fim. A revista é muito boa, muito bem editada, com conteúdo excelente, é muito importante que vocês participem deste processo. Obrigada pela presença, pelo apoio e espero que vocês se integrem nesta campanha para que façamos a diferença”.

 



 
Jeanete Mazzierio, secretária executiva do Fórum das Mulheres do Mercosul no BrasilJeanete Mazzierio, secretária executiva do Fórum das Mulheres do Mercosul no Brasil.
Presente no evento, a conselheira tutelar Maria da Piedade contou que conhece as ações empreendidas pela Instituição há muito tempo. “Vocês fazem um trabalho muito bonito. É interessante que todas as mulheres possam receber [a revista], a divulgação é muito importante, elas precisam saber dos seus direitos”, completou.

A secretária executiva do Fórum das Mulheres do Mercosul no Brasil, Jeanete Mazzieiro, também recebeu um exemplar da revista. “Fiquei feliz ao chegar aqui e ver a revista porque eu estive na ONU, na comissão do Itamarati, representando o Conselho Nacional da Mulher, e lá encontrei a revista que estava sendo lançada. O caminho é este, unir as forças, caminhar para que a gente consiga acabar com esta violência sem tamanho.”

A professora Ileana Nicoli França, da Escola Professor Caetano Azeredo, levou os alunos do 9º ano do Ensino Fundamental para que acompanhassem as discussões. “Estes alunos vão multiplicar as informações recebidas aqui para os demais alunos da Escola”, reiterou.
Em Belo Horizonte, MG, o Centro Comunitário de Assistência Social, da Legião da Boa Vontade, está localizado na Avenida Cristiano Machado, 10.765 — Planalto. Para outras informações, ligue: (31) 3490-8101.

http://www.lbv.org/noticia_geral/18348/na-capital-mineira-evento-reune-autoridades-para-discutir-a-violencia-contra-mulheres

 

 

 

 

 

 

Convite 16 dias de ativismo

 

 

O Conselho Estadual da Mulher de Minas Gerais (CEM) realizou na última segunda-feira (01/08), a conferência temática “Mulheres nos Espaços de Poder e Decisão”, com o objetivo contribuir com propostas para a realização da III Conferência Estadual de Políticas para Mulheres, que acontece no período de 17 a 19 de outubro, em Belo Horizonte.

Na solenidade de abertura, a Coordenadora Especial de Políticas Públicas para Mulheres (Cepam) e vice-presidente do PSDB Mulher Nacional, Eliana Piola, disse que é preciso ter um equilíbrio de gêneros para que as mulheres tenham condições de buscar espaços em diversos setores. “Nós só iremos avançar da forma que desejamos, se nós tivermos, neste país, um equilíbrio entre a participação de homens e mulheres no exercício pleno da democracia”.

A presidente do CEM e subsecretária de Direitos Humanos da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese), professora Carmen Rocha, destacou a importância da representatividade política e partidária das mulheres. “É importante que cada partido, que cada representatividade política participe de forma efetiva, pois só assim teremos chances de colaborar para a realização de uma reforma política” enfatizou.

Já a deputada estadual Luzia Ferreira proferiu palestra sobre “Reforma Política: o que interessa às mulheres?”. Para ela, as mulheres estão trilhando seus caminhos, ganhando espaços, buscando seus sonhos, levantando sua bandeira de luta e conquistando suas causas e objetivos, porém ainda é muito pequeno o número de mulheres nas esferas de poder.

“Hoje temos muitas mulheres escolarizadas, mulheres em diversos setores da sociedade, na construção civil, mas ainda ausentes no poder”, ressaltou a deputada. Ela acrescentou ainda, que as mulheres têm que estar presente na executiva do partido e não serem apenas filiadas, uma vez que a exclusão começa dentro do próprio partido. “Os partidos compõem chapa formal, são muito centralizados e poucos abertos a renovação. As mulheres precisam ter o apoio da estrutura partidária para viabilizar o sucesso de suas campanhas”.

A deputada federal Jô Moraes abordou, em sua palestra, o tema “Espaços e Poder: onde estão as mulheres?”, onde reforçou a importância da inclusão da mulher nas esferas de poder, como forma de arrebentar barreiras e construir uma democracia. Ela ressaltou que as mulheres têm que vencer desafios como encontrar suas perspectivas de poder. “As mulheres têm que realizar a construção de seu empoderamento, ter auto-estima, qualificação, acreditar em si mesmas, articular redes de apoios, por meio de reuniões entre mulheres, conferências, e lutar por uma reforma política sob a ótica de gênero, com o reforço dos partidos”, finalizou a deputada.


Confira as propostas que serão encaminhadas à Comissão Organizadora da III Conferência Estadual de Políticas para Mulheres.

 

Clique aqui para ver as propostas (pdf 76KB)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Casa de Direitos Humanos - Avenida Amazonas, 558 - Centro - Belo Horizonte, MG - CEP: 30180-001 - Tel (31) 3270-3618